Tag Archives: Dicas

salao-valentina-carnaval
 

Olá meninas bonitas!

O Salão Valentina fica fechado durante o Carnaval para que a gente também caia na folia! ;)  E se você vai passar Carnaval em BH, confira a lista de bloco de rua e já programe sua folia!

 

SEXTA-FEIRA, 5 DE FEVEREIRO

Tchanzinho Zona Norte
17h • O bloco sai pelo quarto ano consecutivo descendo até o chão pelas ruas dos bairros Jaraguá e Dona Clara. Com repertório de música baiana da década de 90 a folia da Zona Norte se destaca pela coreografia das dançarinas e a música bem ensaiada
Av. Sebastião de Brito, 160 – Dona Clara

Cintura Fina
17h • Busca resgatar os primórdios do carnaval da capital. O palco é a mítica Lagoinha e tem como inspiração as jornadas do Leões da Lagoinha, bloco que descia a Rua Itapecerica fazendo a festa dos foliões da então jovem Belo Horizonte.
Praça do Peixe – Bonfim

Bloco Fúnebre
20h • Concentração na Praça da Bandeira. Cortejo desce a Avenida Afonso Penna rumo à Praça da Estação. Link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1062754170435682/
Praça da Bandeira – Serra

Sexta Ninguém Sabe
18h • Bloco de BH que resgata sambas-enredo de todos os tempos com pegada rock’n roll.

Av. Bernardo Monteiro, 1563 – Funcionários

 

SÁBADO, 6 DE FEVEREIRO
Du seu pai e filhas de Gaby
14h • No Poly, um palco móvel feito a partir de um Fusca, as filhas de Gaby dançam em um pole dance móvel. Nas Ruas da capital desde 2013, o bloco conta com mulheres sempre elegantemente fantasiadas e homens de bigode.
Avenida Afonso Pena, em frente ao Palácio das Artes – Centro

Então, Brilha! (vídeo)
9h • Um dos maiores blocos do carnaval de Belo Horizonte o Então, Brilha combina ocupação do espaço urbano, com a valorização das prostitutas e muita animação com músicas do carnaval baiano. O aquecimento é em frente ao mítico Hotel Brilhante, no epicentro da Zona Boêmia da capital. A multidão segue atrás do trio elétrico – devidamente fantasiada de rosa e amarelo brilhante – pelas ruas do centro até aportar na praça, ou melhor: na Praia da Estação.
Rua Guaicurus, 660 – Centro

Praia da Estação
12h • No sábado de carnaval os blocos que saem pela manhã – como o Então, Brilha! – desaguam na praça e fazem um carnaval com a legítima anarquia que o nome merece. Aliás, se o carnaval voltou às ruas de Belo Horizonte muito se deve ao embrião fecundado com as águas da fonte da praça. Um movimento surgido há seis anos e que contribuiu para a politização da juventude da capital.
Av. dos Andradas, 201 – Centro

Unidos da Estrela da Morte
12h • Organizado pelo Conselho Jedi de Minas Gerais (CJMG) este bloco pretende reunir os nerds fãs da saga Star Wars. A organização pede que todos compareçam com trajes e fantasias de seus personagens favoritos, mas os que adotarem as vestes do Star Wars vão poder cantar o samba enredo com mais força. O link para o samba-nerd: https://www.youtube.com/watch?v=1Dxe_KIYSPE
R. José Pedro Drumond, 100 – Floresta

Bloco Aki Cê Dança
13h • Formado por apaixonados por Dança de Salão o bloco sai pela segunda vez neste ano. Com concentração na Praça Afonso Arinos, o bloco segue subindo a Avenida João Pinheiro até chegar na catarse carnavalesca da Savassi.
Praça Afonso Arinos – Centro

Bloco da Língua
14h30 • Formado por um grupo de amigos unidos há mais de 15 anos, dos bairro São Salvador, Glória, Jardim Pérola e Novo Progresso o bloco concentra na Rua Palestina, no bar da Laninha e dispersa na Rua Ninive, no bar do Biluia.
Rua Nínive, 345 – Glória

Dread Locko
15h • Comandado pelo cantor Sergio Pererê o bloco estreia neste ano. O objetivo é difundir a ideologia dos dreads, com muito reggae e valorização da cultura negra. O bloco concentra na Praça e vai até o viaduto Santa Tereza.
Av. dos Andradas, 201 – Centro

Afoxé Bandarerê
12h • Criado em 2013 o grupo de Afoxé promove o carnaval na Concórdia com música de alta qualidade. Veja vídeo do primeiro ensaio deste ano: https://www.youtube.com/watch?v=X9ReiisQKWY
Praça México, S/N – Concórdia

Bloco do Approach
15h • Um dos pioneiros do carnaval belo-horizontino, os músicos da banda Proa enchem a folia de rock desde 2009. A banda se tornou um bloco estático que atrai multidões às proximidades do Bar Brasil 41 desde quando tocavam em um palco improvisado em engradados de cerveja (foto) até a grande estrutura do ano passado.
Av. Brasil, 41 – Santa Efigenia

Bolinha Preta
14h • Sai pela primeira vez e é voltado para crianças de 0 a seis anos, além dos pais. Terá marchinha de carnaval, área para pique-nique, dança materna e oficinas paras as crianças.
R. Orange, 30 – São Pedro

DOMINGO, 7 DE FEVEREIRO

Domingo
Alcova Libertina
17h • “Chuta, chuta, chuta/Chuta a família mineira”. Quando os músicos da Alcova cantam o refrão do bloco – acompanhados em uníssono pelos libertinos da plateia – o carnaval da capital atinge seu grande momento. Desde 2010, quando foi criado um ateliê para artistas de diversas áreas, incluindo músicos, no Bairro Santa Tereza, o braço carnavalesco do coletivo é a catarse absoluta do carnaval belo-horizontino. O repertório tem muito rock, com clássicos e sucessos recentes repaginados pelo suingue da banda, mas não abandona a origem, pois contempla sucessos da Tropicália e Mutantes. Entre os integrantes do bloco estão músicos profissionais, com carreiras paralelas em outras bandas e discos gravados, como Thiakov e Paim, da banda Ram.
Local ainda não definido.

Ordináááários
12h30 • O bloco homenageia o grupo É o Tchan e o nome veio de um dos bordões dos vocalista Compadre Washington. Nas ruas de BH desde 2014 o bloco foi uma das surpresas do carnaval passado e arrastou mais de 4 mil foliões pelo bairro Funcionários.
Av. Brasil, 1036 – Santa Efigenia

Bloco do Batiza
14h • O repertório do bloco surgido em 2012 tem MPB, marchinhas e ritmos nordestinos. O jeitão tropicalista é claramente inspirado em um dos ícones do movimento, pois o nome remete a música do Tom Zé: Batiza esse Neném.
Esquina de Francisco Sales com Sapucaí

Bloco dos Valetes
14h • O termo “valetar” é uma palavra usada pelos membro do bloco para se referirem à sedução. ” Há valetes de todos os naipes, cada um investindo em suas próprias características para tentar acompanhar a dama. É o Dom Juan, o Fábio Júnior interior de cada um movido por criatividade e muito amor”, explica o bloco em sua página no Facebook.
Praça Lions – Floresta

Vou ali e volto
12h • Bloco formado por amigos do Padre Eustáquio. A saída é na pra Praça Tejo, próximo do Aeroporto Carlos Prates.
Praça Tejó – Padre Eustaquio

Bloco da Fofoca
15h30 • Desde 2014, o Bloco da Fofoca traz às ruas de Belo Horizonte a alegria do carnaval aliada à valorização da cultura popular brasileira. Em 2016, a proposta do Bloco é contagiar os foliões com o ritmo do Carimbó, dança típica do norte do país!
R. Espírito Santo, 757 – Centro

Bloco Angola Janga
16h • Bloco Afro de axé dedicado ao empoderamento negro através de suas práticas e repertórios.
Esquina da Guajajaras com Bahia

SEGUNDA-FEIRA, 8 DE FEVEREIRO
Bom Bloquiu
10h • Formado por biólogos e biólogas faz um carnaval de rua autêntico da Praça da Bandeira até a esquina da Avenida Getúlio Vargas com Rua Rio Grande do Norte.
Praça da Bandeira – Serra

Baianas Ozadas
14h • O bloco das multidões do carnaval Belo Horizonte atraiu mais de 1 milhão de pessoas partindo da Praça da Liberdade, no ano passado. Fundado em 2012, conta com os foliões vestidos de branco e emana um poderoso axé “vintage”.
Praça da Liberdade, s/n – Savassi

Unidos do Barro Preto
12h • Bloco que surgiu em 2011 e homenageia um dos primeiros bairros operários de Belo Horizonte, o Barro Preto.
O Unidos segue a tradição dos blocos enlameados do Brasil, em que os músicos e foliões cobrem o corpo inteiro de lama.
Musicalmente o bloco tem influências do Manguebeat, do Maracatu, do Axé e dos Ijexás.
Rua Juiz de Fora – Barro Preto

Beiço do Wando
10h • Faz sua estreia no carnaval no dia que completa quatro anos da morte do cantor Wando, inspirador da folia. A música chamada de brega vai animar a trupe, com tamborins e tambores.
Rua dos Aimorés, 6 – Funcionários

Corte Devassa
14h • Em seu quinto ano no carnaval de BH o bloco é nota 10 no quesito fantasia e adereços. Nascido de um grupo de artistas da Fundação Clóvis Salgado ostenta charme e, apesar da realeza das fantasias, os decotes e saias abertas trazem a corte para o mundano.
R. Sapucaí – Floresta

Bloco do Rock
16h20 • Parte do circuito eletrônico do carnaval de rua em Belo Horizonte. O cantor Felipe Reis apresenta versões carnavalescas de músicas de bandas de rocl, pop e indie-rock.
Avenida dos Andrades, em frente ao Parque Municipal – Centro

Bloco do João Careca
15h • Cortejo segue da Praça JK pelas ruas do Cruzeiro e Anchieta. Página no Facebook.

Bloco Garotas Solteiras
A descrição do bloco é tão boa que nem vale a pena resumir: “Se você tá louco ou bêbado de amor, se você acha que o amor tá no topo, se você tá esperando o fim do tempos, se você é uma sobrevivente, se você é uma garota safada, se você não quer que a música pare, se você gosta de open bar, se você quer requebrar, se você é um diamante…. Inspirados em Queen B, viemos mostrar quem manda nesse mundo e assim surgiu o glamouroso “Garotas Solteiras” (criativa e elaborada tradução do hit “Single Ladies”). Nosso bloco é exclusivamente dedicado a um Pop Carnavalesco, sem se ater a uma nenhuma época, cantora ou idioma! Porque, afinal de contas… como não amar as versões brasileiríssimas desses hits sensacionais?”
R. Rio de Janeiro – Centro

Bloco do Godô
15h • Cortejo de piano com Gabriel Guedes, Bruno Malaguti com bateria. Percorre as ruas do Santa Tereza
R. Mármore, 30 – Santa Teresa

Vai tomar no cooler
13h • Grupo de amigos que cansou de passar raiva na hora de pagar a conta o bar e decidiu montar um bloco de Carnaval em BH para ‘Tomar no Cooler’!. O bloco esquentou (o bloco, não a cerveja) com o decreto atrapalhado da Prefeitura que queria proibir isopor e cooler na folia. A lei atravessou o samba e foi revegoda a tempo
R. Ceará, 1568 – Funcionários

Garota eu desço a Califórnia
10h . Descendo a Rua Califórnia, no Sion, desde 2013, o bloco aposta nas canções mais pedidas dos karaokês em busca, nas palavras do estatuto do bloco de: “unir o público presente em comunhão”.
Praça Alaska, Sion

TERÇA-FEIRA. 9 DE FEVEREIRO
Bloco Magnólia
11h • Pode jazz no carnaval? Sim, respondem em uníssono os trombones, clarins e tubas do Bloco Magnólia, que desfilou pelas ruas do Bairro Santo André pela primeira vez no ano passado e repete a dose neste ano. São inspirados no Mardi Gras, o carnaval da terça-feira gorda em New Orleans, nos EUA.
R. Magnólia, 1114 – Caiçara

Bloco do Pescoção
12h • Formado por profissionais da comunicação (jornalistas, publicitários, relações públicas e designers) sai pela segunda vez e, como já está se tornando tradição, tem uma marchinha própria., que pode ser escutada aqui: https://soundcloud.com/warleyhenrique/ano-fedasunha?in=concursomestrejonas/sets/v-concurso-de-marchinhas
Remover
Av. Álvares Cabral, 400 – Centro

Filhos de Olorum
13 • Nascido de um terreiro o bloco faz um salve aos orixás e traze samba, reggae e, é claro, pontos de terreiro,
Rua Quimberlita – Santa Teresa

SBC Samba Bobagem e Cerveja
13h • Turma de amigos do bairro Caiçara que promove, pela quarta vez, um legítimo carnaval com aquecimento no Bar do Zé, na Rua Francisco da Veiga, 530.
Esquina de Vila Rica com Antônio Cesário da Rocha – Caiçara

Arrastão Eletrônico
16h20 • Bloco Arrastão Eletrônico com Felipe Reis e convidados, faz parte do Circuito Eletrônico de Carnaval.
Avenida dos Andradas, em frente ao Parque Municipal – Centro

Pisa na fulô
18h • Criado em 2015, o bloco Pisa na Fulô – de forró – é uma das iniciativas na cidade que fogem das tradicionais marchinhas. No ano passado, o bloco se concentrou na praça entre as ruas Peçanha e Patrocínio, no Bairro Carlos Prates, na Região Noroeste.
R. Patrocínio, S/N – Carlos Prates

Coco da gente
9h . Inspirado na cultura popular o grupo reúne artistas de diversas áreas e tem no repertório músicas de Selma do Coco, Coco Raízes de Arcoverde e Lia de Itamaracá.
Praça Coronel José Persilva – Santa Teresa

QUARTA-FEIRA, 10 DE FEVEREIRO
Manjericão
A ressaca é com o bloco manjericão, que faz uma referência pouco sutil à maconha. Os foliões, vestidos de verde, dão adeus aos festejos de Momo em uma algazarra anárquica que se prolonga até as últimas cinzas da quarta-feira. Ainda não há local definido.

 

Via Estado de Minas


Olá, meninas!

Muito feliz em ter participado da matéria “Beleza direto da cozinha” que saiu ontem no caderno Pandora, do Jornal O Tempo.

 

renata-fraga-terapeuta-capilar-bh
Para fazer em casa

Renata Fraga, terapeuta capilar e proprietária do Salão Valentina, em Belo Horizonte, é adepta dos ingredientes naturais para a manutenção dos fios. Se você não resiste a um bom tratamento caseiro, confira algumas receitas para os fios com produtos do seu dia a dia.

Brilho e maciez

Reza a lenda que a poderosa Cleópatra não abria mão de um banho de leite para renovar a pele e realçar a sua beleza. De acordo com o terapeuta capilar Renata Fraga, o leite é utilizado para hidratar os fios dos cabelos e mantê-los alinhados – o ácido lático é um alisante natural – e com brilho. “De fato, o leite tem ácidos maravilhosos para o fio, mas ele tem que ter procedência: deve ser orgânico, nada de industrializado. O leite de cabra é uma boa opção também”.
Como fazer Para hidratar, use o leite com duas colheres de iogurte orgânico sem açúcar, ou uma colher de mel, ou, ainda, ¼ de abacate amassado. O cabelo tem que estar seco para absorver melhor a mistura. Aplique e deixe agir por 20 minutos. Exágue e depois lave com xampu e condicionador.
Para livrar os fios daquele aspecto pesado, seco e oleoso, lavá-los com xampu e condicionador não é suficiente. Para isso, o detox capitar é útil, já que ele entra como uma opção para usar antes do xampu. “O resultado dessa limpeza profunda é a prevenção da queda dos cabelos, o fim da caspa e a eliminação do aspecto de sujo deixado pelos cabelos oleosos. Ao massagear o couro cabeludo, você estará desobstruindo os poros, fazendo com que os fios cresçam mais fortes e saudáveis”, explica a terapeuta capilar Renata Fraga.

Como fazer

Use 5 colheres de sopa de vinagre, uma de alecrim e uma colher de chá de açúcar refinado. Misture tudo, deixe marinar por 15 minutos. Passe no couro cabeludo, com um algodão, massageando suavemente por dois minutos. Deixe agir por 10 minutos e, depois, lave normalmente. Use esse procedimento nos cabelos pelo menos duas vezes por semana.

renata-fraga-terapeuta-capilar-bh-jornal-o-tempo

Leia a matéria completa aqui! 


dicas-para-lavar-cabelo

1) Não é mito dizer que água fria é melhor para o cabelo do que água quente. Temperaturas mais baixas fecham a cutícula do cabelo proporcionando brilho. Duro é tomar banho gelado, né meninas?! Uma boa dica é lavar com água morna e dar uma última enxaguada com água fria!

2) A massagem no couro cabeludo e na nuca, além de um super relax e de aliviar o stress, estimula a circulação sanguínea e aumenta a produção de hidrolipídeo e da acidez equilibrando a oleosidade dos fios. Tire sempre alguns minutos no banho para uma boa massagem com a ponta dos dedos e peça ao profissional de beleza quando for ao salão!

3) Após enxaguar o shampoo, você pode aplicar a máscara de tratamento, de uma a duas vezes por semana. Mas atenção: máscara não substitui o condicionador! Sua função é nutrir e hidratar os fios  prejudicados e enfraquecidos por fatores externos.

4) O condicionador protege os fios, selando a cutícula e finalizando o processo de lavagem. Nesse caso, a quantidade correta é proporcional ao comprimento do cabelo e deve ser aplicado somente nos fios, nunca na raiz.

5) Vocês sabiam, usar uma toalha para secar os fios diferente para o corpo é um hábito comum pra muita gente e deve ser mantido! Além de uma questão de pura higiene, é bom lembrar que o corpo libera óleo naturalmente e transfere para a toalha. Usando a mesma, a gente acaba desequilibrando o PH dos fios e deixando o couro cabeludo com mais resíduos e reais chances de inflamação. Agora de hoje pra frente, são 2 toalhas!

Siga @revalentina no Instagram e confira as dicas que posto diariamente por lá!


Adorei esse tutorial e vocês?

Acrescento uma dica ao tutorial, se você tem pouco cabelo, use um spray antes de amarrar o cabelo para texturizar os fios.


Fonte: makeup.com


Olá, meninas!

Hoje tenho dicas sobre um queridinho que anda na bolsa das mulheres: o batom!

Para  uma boca perfeita e uma melhor fixação do batom, siga nossas dicas:

– Use hidratante labial. Lábios ressecados tiram a beleza de qualquer batom.

– Antes de aplicar o batom, aplique primer labial. Se você não tiver primer labial, aplique base e em seguida pó. Além de ajudar na fixação, essa dica destaca a cor do batom que será usado.

– Se você não tem o contorno labial muito definido ou já tem linhas de expressão próximas a boca, utilize lápis labial!

– Use pincel para a aplicação do batom. Usando o pincel você garante brilho, cor e textura mais bonitos.

– Se aquele batom de cor forte borrar na hora da aplicação, não se desespere: limpe com cotonete, passe corretivo da cor da sua pele e e seguida aplique pó.